Valedoaraguaiafm
Notícias
13/04/2015 - Filho de Aniceto assume comando de aldeia dia 19/4

No domingo (19/04), que também se comemora o Dia do Índio, acontece um momento histórico para maior comunidade indígena de Mato Grosso, Xavante, com a posse do cacique Davi Tsiwededzapre, 38 anos, filho de Aniceto, no comando da aldeia Nossa Senhora de Guadalupe, na reserva São Marcos em Barra do Garças.

Ele herdou este posto com a morte do pai no dia 22/02. Uma cerimônia com a participação de lideranças xavantes e autoridades políticas será realizada na aldeia que fica a 120 km do centro de Barra.

Davi assume a aldeia com os desafios de manter a cultura xavante e lutar contra a migração cada vez maior que vem ocorrendo de índios que abandonam as aldeias e vem morar na cidade.

E não será fácil substituir Aniceto. Ele foi considerado um dos maiores líderes indígenas de Mato Grosso nas décadas de 80 e 90 ao lado de Mário Juruna já falecido e do cacique caiapó Raoni no Parque do Xingu.

Os três lutaram nas décadas de 80 e 90 para demarcação das terras indígenas que estavam sendo invadidas pelos brancos e respeito a terra indígena em Mato Grosso. Foi através desta luta que foi possível retomar a terra indígena Marãiwatsédé em Alto Boa Vista fato que também foi comentado até mesmo na assembléia da ONU.

Aniceto iniciou sua história comandando a aldeia São Marcos com 900 índios na década de 70 e em 2002 pelos embates políticos internos ele deixou a aldeia São Marcos e abriu a aldeia Nossa Senhora de Guadalupe com cerca de 800 índios.

A reserva São Marcos que compreende todas as aldeias no perímetro de Barra tem quatro mil xavantes. No total, são em torno de 19 mil xavantes em Mato Grosso somando-se as reservas de Campinápolis, Nova Xavantina e Água Boa, segundo informações do cacique Agnelo Temrite Wadzatse da aldeia Imaculada Conceição.

A população xavante é considerada a quarta maior do Brasil atrás dos Ticunas com 50 mil; Guaranis 30 mil; Macuxis 20 mil. A posse do cacique Davi será acompanhada pelo presidente da Funaí, autoridades e a imprensa nacional.

Para quem não se lembra Mário Juruna foi deputado federal na década de 80 pelo estado do Rio de Janeiro convidado por Leonel Brizola para disputar a eleição, Juruna se tornou o primeiro voto de protesto de brasileiros que estavam saindo da ditadura militar.

 
O que você achou do site da Rádio vale do araguaia fm